Uma camisa de força

Somos enganados o tempo todo
A cada turno
Em que entramos nas fábricas

Eles nos prometem um punhado de moedas
E sempre existe uma enorme perspectiva pra crescer
Mas nada certo
Tudo depende exclusivamente de você
É o que dizem

Mas eu não vejo nada disso
E o que eu vejo
São pessoas
Entregando os seus sonhos
E sacrificando os seus dias
Sob o pretexto de uma promessa
Que no fundo
Nem ao menos existe

E quando você chega em casa
Destruído
O que você (a gente) faz?

Raspamos as moedas em nossos cofrinhos
E saímos como loucos por aí
Doidos pra gastar o que não temos
Em coisas que nem ao menos
Precisamos

Sei lá
Talvez eu seja só um louco
Mas o fato é
Que quando fui em busca de lucidez
Havia uma camisa de força

Nas mãos do meu enfermeiro